Feira Científica e Cultural 2014

Loading...

domingo, 28 de março de 2010

Exposição de Trabalhos Cientificos

SECRETARIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO
GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ
E.E.F.M HONORATO FILGUEIRAS

PROJETO


(1ª E.T.I.C.)
I EXPOSIÇÃO DE TRABALHOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA ESCOLA HONORATO FILGUEIRAS


TEMA:
(1ª E.T.I.C.): I EXPOSIÇÃO DE TRABALHOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA ESCOLA HONORATO FILGUEIRAS

OBJETIVO:
Apresentar o estudo de Ciências para o ensino de nível médio de maneira teórica, experimental e interativa com uma abordagem multidisciplinar na área de Biologia, Química e Física. É oportuno salientar que a exposição de trabalhos de iniciação científica tem a intenção de mostrar aos estudantes da escola Honorato Filgueiras a ideologia científica e compreender a importância do seu estudo para o avanço tecnológico e social.

JUSTIFICATIVA:
Existem dificuldades entre alunos do ensino médio para entender a Física, a Biologia e a Química dentro apenas das salas de aulas. Sabe-se que o alunado do ensino médio se preocupa em dar ênfase maior aos cálculos do assunto ou simplesmente decorá-lo, pois quase não verificam totalmente as definições teóricas associadas a uma ordem histórica e experimental da Ciência, faz – se necessário, então, realizar um evento paralelo às atividades convencionais da escola para que seja feita uma abordagem mais profunda de forma expositiva, teórica e multidisciplinar na socialização do conhecimento.

METODOLOGIA
Conforme o cronograma do evento, os procedimentos a serem adotados nesta exposição de trabalhos de iniciação científica consistem em uma linguagem acadêmica precisa e concisa durante as palestras, uma exposição clara para a compreensão de conteúdos conceituais, históricos e multidisciplinares dos trabalhos desenvolvidos pelos alunos sob a orientação dos professores. Os materiais empregados que vão viabilizar o cumprimento dos objetivos propostos são: data-show, computador, banner, maquetes, caixa de som, microfone para a exibição dos trabalhos, palestras e oficinas.

MATERIAL DE APOIO METODOLÓGICO:
• Data-show
• Computador
• Microfone
• Caixa amplificada
• Laser
• Canetas
• Impressora
• Carimbo
• Resma de papel A4
• Papel Vergé (Para Certificado)


Cronograma ilustrativo:

HORÁRIO ATIVIDADES
Manhã
08:00 Abertura Hino nacional, apresentação do evento com a comissão de organizadores e convidados.
08:40 Palestra Da Metafísica Para a Meta da Física: um projeto paradidático para o ensino-aprendizagem
09:00 Palestra Química Experimental no Ensino Médio: Uma Prática com Produtos Naturais.
(Profª. Cíntia Aliny)
09:20 Palestra Práxis no Ensino de Química.
(Profª. Socorro Rodrigues)
09:40 Intervalo Coffee Break
10:00 Palestra O Petróleo e a Tecnologia Flex.
(Profº Netinho)
10:20 Palestra Resíduos Sólidos: As sobras do consumo.
(Acadêmico: Flávio Leal de Souza)
10:40 Palestra Paleontologia na Amazônia
(Ms. Denys Ferreira/UFPA).
11:00 Palestra Contribuições da TV na Educação Científica: Conceituando Biodiversidade Amazônica.
(Profº Valdir Barros)
11:20 Palestra Informática na Educação.
(Profº Wagner Barros)
11:40 Freqüência Listagem dos alunos
12:00 Almoço ***
Tarde
13:30

Exposições e avaliações dos Trabalhos Científicos M2MR02 - O Avanço Científico e Tecnológico Sobre a Natureza: Até onde o homem pode chegar? (manipulação e dominação humana sobre os elementos da natureza).
M1NR01 - Desenvolvimento da Ciência no Mundo Atual.
M1MR02 - Química na Água.
M1TR04 - Preparação e Padronização de Soluções Ácidas e Básica Opcional.
M1TR04 - Vírus: Gripe “A”.
M1TR03 - A Biodiversidade na Ilha de Mosqueiro.
15:30 Intervalo Coffee Break


16:00 Exposições e avaliações dos Trabalhos Científicos M2MR01 - Energia Renovável.
M1NR02 - Luz, Calor e Ilusão de Óptica.
M1MR01 - Camada de Ozônio.
M1MR01 - Determinação do Índice de Peróxido.
M1TR03 - Saneamento Básico na Ilha de Mosqueiro
M2TR02 - A Influência da Ciência no Turismo
18:00 Encerramento Entrega de certificados e agradecimentos



PLANILHA DE CUSTO DO EVENTO

MATERIAL QUANTIDADE CUSTO

Banner 12 unidades (dimensão: 80 cm x 100 cm)
R$ 500,00
CD’s 12 unidades R$ 18,00
Folhas de Isopor 06 unidades R$ 45,00
Cartolina 10 unidades R$ 5,00
Estilete 01 unidade R$ 3,50
Resma de papel A4 01 pacote R$ 15,00
Papel Vergé 01 pacote R$ 15,00
Cartucho de tinta 02 unidades R$ 40,00
Tinta guache colorida 03 caixas R$ 30,00
Pincel 06 unidades R$ 15,00
Cola de isopor 03 unidades R$ 6,00
Transportes de palestrantes convidados 04 passagens R$ 25,00
Água mineral 20 litros 02 unidades R$ 12,00
Café 02 pacotes R$ 5,00
Leite 02 pacotes R$ 6,00
Refrigerante de 02 litros 06 unidades R$ 15,00
Biscoito 04 pacotes R$ 10,00
Copo descartável 02 pacotes com 100 unidades R$ 5,00

Projeto LEI Laboratório de Ensino de Informática

ESTADO DO ESTADO DO PARÁ
SECRETARIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO
NUCLEO TECNOLOGICO DE EDUCAÇÃO
Email: wagnerfon.barros3@gmail.com






ESCOLA PROF. HONORATO FILGUEIRAS, MOSQUEIRO-PA
05 DE OUTUBRODE 2009




NOME DO PROJETO:
Informática na Escola – Utilização do Laboratório de Ensino de Informática (LEI)
ENEREÇO ELETRÔNICO DO PROJETO:

http://www.wagnerfon.blogspot.com


PERÍODO DE EXECUÇÃO:

Ano Letivo 2009 (com renovação anual de estratégias e objetivos)

PÚBLICO ALVO:

 Professores e alunos (Assessoria às atividades Pedagógicas no LEI)
 Comunidade Escolar

COORDENAÇÃO DO PROJETO:

 Núcleo Gestor da escola
 Centro de Multimeios
 Professores do Laboratório
 Alunos Monitores

JUSTIFICATIVA
Os avanços da tecnologia vêm proporcionando a humanidade vislumbrar um mundo de possibilidades até então inimaginável, o advento da Internet vem jogar por terra as barreiras e fronteiras, escancarando as portas de um mundo globalizado e plural. Os alunos da escola pública não poderiam ficar alijados desse processo, sob pena de estarmos (de) formando sub-cidadãos, “analfabetos informáticos”.
A escola Honorato Filgueiras é contemplada com um laboratório de informática com 24 computadores com distribuição completa da plataforma LINUX EDUCACIONAL Boto Set e conexão a internet via radio, desta forma, fomentado o uso intensivo dos recursos de TIC`s disponibilizados possibilitando a aprendizagem e a formação de redes de conhecimento solidárias.
Diante dos recursos apresentados, ver-se o desafio apresentado à escola em dar o encaminhamento melhor a esse projeto que visa inserir o educando das escolas públicas no mundo da tecnologia computacional, municiando o educando de ferramentas que lhe permitam usar o computador como instrumento indispensável em um mundo verdadeiramente globalizado, contribuindo, substancialmente, para a inclusão digital de nossa comunidade.
Deve-se salientar ainda, que na escola a máquina por si só não tem nenhuma valia, o laboratório de informática só tem sentido se servir como mais um recurso didático-pedagógico que em conjunto com outras mídias proporcione ao aluno o acesso a novos conhecimentos e a apreensão das novas tecnologias contextualizando-as e fortalecendo os conceitos de interdisciplinaridade. É com esse fomento que há a necessidade de desenvolver projetos que visem a utilização prática e efetiva dessa tecnologia disponível na escola em práticas cuja finalidade é utilizar ao máximo esse recurso como ferramenta de apoio em atividades escolares e na inserção da comunidade escolar em um grupo seleto que é o que possuem domínio em informática.
É bom salientar que a informática faz parte da cultura contemporânea e a escola tem um papel fundamental de propiciar o acesso dos alunos a essa nova tecnologia e às suas linguagens. Neste aspecto, fica claro que é, principalmente através da escola que antigas e novas gerações têm oportunidade de participar, compreender, decidir e de sentirem-se autônomas em relação à Tecnologia da Informação, realizando obras sofisticadas, concretizando projetos antes apenas imaginados, estabelecendo novas relações com o mundo, ampliando a sua participação e interação cultural, intelectual, social, profissional e política.
É dever de a escola acreditar que a tecnologia é um direito do cidadão contemporâneo, na medida em que possibilita a ele conhecer e utilizar novas ferramentas e novas linguagens, fundamentais para o domínio e a autonomia na convivência e no trabalho com o mundo atual e globalizado.
De modo geral, a informática está sendo gradativamente introduzida nas escolas, e não podemos deixar que os alunos de nossa comunidade fiquem à margem desse processo. Nesse sentido, é de interesse da escola Honorato Filgueiras criar um espaço especial para aplicação da Informática Educacional. Assim, a aquisição de um laboratório de informática com conexão via radio, abre-se a viabilidade de desempenharmos essa imprescindível função sócio-educacional.
Seguindo essa ótica de compromisso com o ensino aprendizagem, a utilização da ferramenta computador é um mecanismo indispensável como estratégia de ação no processo de ensino-aprendizagem e, deste modo, contribuir para almejar o que se pretende como missão da Escola Honorato Filgueiras que é contribuir para melhoria do processo ensino – aprendizagem, numa gestão colegiada, favorecendo o ingresso do educando no mundo do trabalhando e sua atuação crítica e participativa na sociedade. 2



OBJETIVOS
Objetivos gerais
 Disponibilizar a alunos e professores mais um recurso didático pedagógico para o enriquecimento do processo de ensino-aprendizagem, utilizando a informática como eixo de ligação na construção de um trabalho interdisciplinar, desta forma, proporcionar ao corpo docente e alunos da Escola Honorato Filgueiras, acessa a utilização desta nova ferramenta de trabalho, através de seu manuseio prático, mesclando com conhecimentos teóricos.
 Empregar a informática como agente interdisciplinar para a operacionalização dos componentes curriculares pelo método do aprender fazendo.
 A utilização da tecnologia na educação proporcionando mudanças de valores e atitudes, levando o educando a reflexão-ação, ao construir seu próprio conhecimento.
 Utilizar a informática como mecanismo de divulgação do trabalho escolar, inserindo a Escola no mundo digital.
Objetivos específicos

 Exemplificar através de projetos as potencialidades das TIC’s
 Fomentar o desenvolvimento cultural da comunidade local.
 Capacitar os professores, com auxilio do NTE-Belem, para utilização do LEI como ferramenta pedagógica indispensável no desenvolvimento do ensino-aprendizagem
 Capacitar os alunos monitores para melhor uso do LEI e de suas atividades especifica
 Assessorar alunos e professores na construção de projetos pedagógicos que necessitam da utilização do LEI
 Despertar o interesse dos alunos pela ferramenta computador;
 Integrar a Informática Educativa com maior número possível de professores em projetos educacionais possibilitando a interdisciplinaridade.
 Divulgar as ações da Escola Honorato Filgueiras no ambiente Web com a manutenção e atualização de Blog.
 Divulgar trabalhos escolares de professores a alunos no ambiente Web.
 Criar sites de divulgação dos projetos pedagógicos desenvolvidos na escola e, também, serem publicados no portal Blog da escola.
 Atualizar e manter os sites de divulgação dos projetos pedagógicos já existentes desenvolvidos na escola e, também, serem publicados blog escola Honorato Filgueiras.
 Produção de conteúdos escritos e visuais sobre temas relevantes e atuais da de nossa comunidade;
 Ministrar aulas de informática aos pais de nossos alunos possibilitando-os o acesso a internet e o manuseio de microcomputadores em outros recursos.
 Favorecer a certificação dos alunos monitores que atuaram no projeto.
 Incentivar nossa comunidade na elaboração de textos e apresentações sobre os variados temas trabalhados e, sala de aula.
 Disponibilizar a nossos professores um acervo de conteúdos da web em nossas páginas através de links tais como laboratórios virtuais, acervos literários etc. para que tais recursos sejam trabalhados no ambiente escolar.

METODOLOGIA
 Criação de atividades escritas (utilização de editores de textos, apresentação de slides e planilhas eletrônicas),
 Desenvolvimento dos projetos trabalhados na escola (edição de textos, pesquisa na web, relatórios, planilhas, gráficos etc.)
 Desenvolvimentos e manutenção do Site (páginas na internet) para divulgação da escola (atividades, objetivos, eventos, informativos, links etc.).
 Capacitação de professores para elaboração de atividades que utilizem o laboratório didático virtual disponível no site da escola
 Planejamento prévio com professores para atividades que envolvam o LEI
 Aulas práticas para alunos que visem melhor aproveitamento dos computadores do LEI
 Busca junto ao Núcleo Gestor, melhorias de funcionamento do laboratório.
ESTRATÉGIAS DE AÇÃO
INTERNET E MULTIMÍDIA:
 Manutenção e ampliação do laboratório didático virtual no site da escola
 Desenvolvimento e administração de páginas de divulgação de projetos pedagógicos da escola, utilizando para isto, o blog.
 Interação entre educadores e educandos na busca de novas informações através da Internet, propiciando um ensino público de qualidade, contribuindo substancialmente para o seu autoconhecimento.
 Participação da comunidade escolar de grupos de discussão, cursos e assuntos específicos via internet.
 Inserir alunos e professores em recursos educacionais via internet tais como rao-tu, bate papo com temas educacionais, oficinas de criação, laboratórios didáticos virtuais etc.,
 Dispor no blog da Escola diversas ferramentas de apoio didático-pedagógico, tais como: laboratório virtual, dicas conteúdos e acompanhamento de vestibulares e ENEM, simulados online, conteúdo de formação profissional aos nossos professores etc.
PROJETO PEDAGÓGICO DE INFORMÁTICA:
A proposta pedagógica da área de informática é incorporar a perspectiva dos alunos de interagirem com o computador através da elaboração e da concretização dos projetos da Escola, bem como participando de pesquisas escolares e aulas práticas com softwares educacionais e aplets disoiniveis na internet tais como objetos virtuais de aprendizagem ministradas por nossos professores com assessoria do coordenador e monitores.

PROJETOS ESPECIAIS:
 Capacitar os professores no uso do laboratório Didático Virtual.
 Capacitar os professores na aquisição e utilização de vídeos disponíveis na web
 Ministrar aulas de informática aos pais de nossos alunos os proporcionado primeiro acesso e uso de computadores com particular destaque ao uso da internet.
 Projetos destinados aos alunos de turmas especiais interessados em aprimorar seus conhecimentos em informática.
 Participar de grupos de correio eletrônico (troca de e-mails com outras instituições),
 Elaboração de projetos com temas didáticos e paradidáticos sobre a coordenação de professores de suas respectivas áreas de conhecimento.
 Desenvolvimento de sites cujo conteúdo contempla os projetos realizados na escola.
 Editor de Textos: Ferramenta interna que possibilitará aos alunos, a criação e edição de material para divulgação no Site de nossa escola, bem como a criação, edição e publicação na internet do jornal eletrônico da Escola.
 Acesso a Laboratórios Virtuais na Internet como recurso pedagógico.


 Suporte ao Aluno:
 Aulas de Iniciação a Informática para alunos das séries finais do Ensino Fundamental
 Pesquisa escolar na internet
 Fazer textos, relatórios e projetos no computador;
 Desenvolver as atividades atribuídas,
 Possibilitar ao aluno o domínio básico da ferramenta computacional por intermédio de auxilio individual ou coletivo com a presença do Professor do LEI e/ou monitores.
 Acesso ao Site da Escola para publicações de trabalhos realizados durante o ano letivo.
 Grupos de discussões, simulados online, laboratórios virtuais, acompanhamento de vestibulares e ENEM
 Participação em Rao-tu: recurso pedagógico da internet que visa colocar ou responder perguntas em um site da Web, cobrindo diversas áreas de conhecimento, denominadas tópicos.
 Participação de grupos de debates na internet sobre variados temas tendo como acesso o site da escola
 Suporte ao Professor:
 Acesso a fontes de informação da Internet, possibilitando seleção de temas educacionais para posterior amostra ao aluno.
 Acesso a Softwares educacionais que visam aprimorar as estratégias de ensino e objetivos pretendidos pelo professor.
 Editores de textos
 Editores de HTML (desenvolvimento e publicação de páginas pessoais)
 Apresentação de Slides como recurso pedagógico
 Softwares livres como recursos diversos.
 Disponibilidade ao blog da escola para divulgação de trabalhos, informativos, textos, teses etc.
 Material de formação profissional disponibilizado no site da escola.
 Grupos de discussão on-line para trocas de idéias com outros profissionais da educação de diversas regiões do país.
 Bate papo com seus alunos sobre temas educacionais previamente selecionados.
 Participação em Rao-tu: recurso pedagógico da internet que visa colocar ou responder perguntas colocadas em um site da Web, cobrindo diversas áreas de conhecimento, denominadas tópicos.

Observações:
1) A plataforma LINUX, ainda carece de maior acessibilidade no que compete a diversidades de softwares educacionais, o que traz conseqüentemente, a impossibilidade de utilização de softwares educacionais utilizáveis apenas na plataforma Windows. No entanto, não mediremos esforços em conseguir, por meio de pesquisa e downloads na internet, de softwares livres como também por meio de projetos pedagógicos apresentados aos órgãos governamentais competentes.



RECURSOS:
 Ambiente de laboratório para informática: computadores (24) e acesso em Banda Larga a Internet; impressoras (01), Escâner, Câmera Digital...
 Recursos Humanos:
 Alunos Monitores e professores.
 Grupos de trabalhos para confecção de projetos.







NECESSIDADES SOLUÇÕES
Recursos didáticos: Softwares e-Hardware  Aquisição de softwares freeware, encontrados em revistas e na internet para aprimoramento funcional do LEI
 Aquisição de softwares educacionais de plataforma LINUX para utilização de aulas educacionais no LEI como instrumento de auxilio pedagógico ao educador
.
Recursos humanos  Buscar a capacitação dos professores para a utilização da informática em suas disciplinas e monitores para melhor funcionamento do LEI e todos pela construção de trabalhos interdisciplinares. Usando para tanto de parceria com NTE-CREDE 12 e ou outros parceiros.

Manutenção dos equipamentos  Acompanhamento técnico do NTE-CRE 12 na manutenção e aprimoramento de computadores e periféricos disponíveis e necessários à adequação funcional de funcionamento do LEI


AVALIAÇÃO
Avaliação deverá ser feita durante todo o processo, levando-se em conta as atividades desenvolvidas e suas finalidades alcançadas, A divulgação de resultados se dará através de relatórios apresentando o desenvolvimento das atividades realizadas, considerando dificuldades, avanços e propostas para a melhoria, visando sempre aperfeiçoar a utilização do laboratório de informática
Outro aspecto avaliativo se deve a eficácia alcançada em projetos que teve sua página elaborada e publicada na web, como também a quantidade de acessos a essas páginas por parte de nossos visitantes e usuários, principalmente de membros de nossa comunidade escolar.

METAS / AÇÕES 2009–2010 LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA- Honorato Filgueiras- mosqueiro-pa PERÍODO DE EXECUÇÃO
FEV MAR ABR MAI JUN AGO SET OUT NOV DEZ
Construção de um novo Blog da Escola X
Manutenção e ampliação do Blog da escola x x x x X
Apresentação de propostas pedagógicas aos professores e coordenação pedagógica (no planejamento mensal) X X X X X
Atualização de Sistemas operacionais x
Divulgação em sala de aula das atribuições, realizações e pretensões do LEI X
Divulgação e elaboração de relatórios mensais X X X X X
Divulgação das normas e condutas do LEI X
Divulgar as ações pedagógicas da Escola por intermédio de seus blogs na Internet X X X X X
Preparação dos alunos Monitores X X
Aulas de informática básica para alunos de 7ª e 8ª Serem (02 h/a semanais por turma) X X X
Aulas de informática básica para pais de alunos (02 h/a semanais) – grupo de 15 pais X X X X
Aulas no LEI (Ferramenta Pedagógica) como apoio pedagógico X X X X X
Acesso a internet para pesquisas por alunos e professores - acompanhamento dessas pesquisas. X X X X X
Atualização e instalação de novos Softwares x X X
Obtenção de softwares educativos X X X X
Pesquisa e criação no site a escola de um banco de links de laboratórios virtuais multidisciplinar na internet – LBORATÓRIO VIRTUAL X X X
Pesquisa e criação no site da Escola de banco de links com outras ferramentas pedagógicas na Internet X X X
Capacitação dos professores para adequação dessas ferramentas pedagógicas da internet X X
Oferta de curso Dreanweaver e Fireworks para professores e funcionários interessados em construírem seus sites na Internet X
Manutenção e Atualização dos sites da Escola X X X X X X X X X X
Manutenção, ampliação e revisão dos sites de projetos existentes. X x X
Construção de mais sites de projetos X X X X X
Solicitação de Manutenção permanente ao Núcleo de Informática do CREDE 12 quando necessário X X X X X X X X X X
Zelar pela integridade e funcionamento das maquinas disponíveis no LEI. X X X X X X X X X X


BIBLIOGRAFIA

 Endereço eletrônico do PROINFO: www.proinfo.mec.gov.br
 GESAC, Curso de capacitação do programa – NTE –CREDE 12, 2004
 Portal de Inclusão Digital ID BRASIL: www.idbrasil.org.br
 Portal do Ministério da Educação (MEC): www.mec.gov.br
 Portal Educacional RIVED – www.rived.mec.gov.br
 Gestão Integrada da Escola Honorato Filgueiras.
 Projeto: Intel Educação para o Futuro. V. 4.1.1. Intel Corporation
 Apostila do Curso Intel; Montagem e manutenção de Microcomputadores v. 2.0
 Ambiente virtual de aprendizagem E-PROINFO – Curso Mídias na educação (www.eporinfo.mec.gov.br).
 Apostila do Curso BotoSetLinux do NTE-Belem

Festival Musical Moca rock

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ
SECRETARIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO
19ª UNIDADE SEDUC NA ESCOLA
EEEFM PROFESSOR HONORATO FILGUEIRAS APRESENTA


FESTIVAL MUSICAL MOCAROCK

Apresentação


O FESTIVAL MUSICAL MOCA-ROCK é um festival musical de caráter pedagógico complementar ao Festival Cultural da EEEFM PROF. HONORATO FILGUEIRAS que trata da culminância de todas as atividades e ações pedagógicas desenvolvida durante o ano letivo de 2009.
Em sua dinâmica de preparação, duas a três semanas antes da execução, contará com profissionais ligados diretamente a música em ciclos de palestras e oficinas ministradas aos estudantes da escola. Durante a execução, contará com a participação de bandas profissionais e iniciantes externas e internas a escola, assim como vários convidados de instituições ligados a cultura, educação e de órgãos afins.
Tal projeto tem como objetivo maior por em evidência, discutir, refletir e compreender as leituras e os apelos sensoriais proporcionados pela indústria da mídia de forma crítica, evidenciando os valores morais e étnicos que norteiam o comportamento social ‘da nossa gente’.
O evento tem como espaço de acontecimento o Ginásio de Esportes da escola Professor Honorato Filgueiras e data para sua execução o dia 14 de novembro de 2009, no horário de 16:00 h as 23h. O local contará com a estrutura de palco, som e iluminação para as apresentações performáticas culturais e bandas musicas. Além de espaço para convidados, praça de alimentação e banheiros químicos.
A equipe de trabalho envolvida no projeto é subdivida em duas equipes: uma representada por direção e técnicos da escola e a outra mista, formada por docentes e discentes.
O evento destina-se aos estudantes e seus familiares e profissionais da comunidade da escola Professor Honorato Filgueira, os quais perfazem um total estimado de 1500 pessoas.
JUSTIFICATIVA

O sentido que, de um modo geral, as pessoas atribuem a cultura seria aquela que advém do conhecimento dos estudiosos, dos sapientes que possuem uma instrução vasta e variada adquirida por meio de diversos mecanismos, principalmente o estudo. (DANTAS, 2009). Essa interpretação se relaciona às expressões ou aos jargões “O povo não tem cultura”, “O povo não sabe o que é boa música”, “O povo não tem educação”, etc.?
Em sua argumentação o autor referido declara que esta é uma concepção arbitrária e equivocada a respeito do que realmente significa o termo “cultura”.

É comum dizermos que uma pessoa não possui cultura quando ela não tem contato com a leitura, artes, história, música, etc. Se compararmos um professor universitário com um indivíduo que não sabe ler nem escrever, a maior parte das pessoas chegaria à conclusão de que o professor é “cheio de cultura” e o outro, desprovido dela. Mas, afinal, o que é cultura?

O esclarecimento do que vem a ser cultura propriamente está ligado a compreensão da diversidade de valores morais e étnicos que norteiam nosso comportamento social. (JOBIM, 2006). Entender como estes valores se internalizaram em nós e como eles conduzem nossas emoções e a avaliação do outro, é um grande desafio.
Cultura pode ser definida como sendo o conjunto de atividades e modos de agir, costumes e instruções de um povo. É o meio pelo qual o homem se adapta às condições de existência transformando a realidade.
É pertinente observar que cultura não pode ser considerada uma coisa estática, desprovida de mobilidade e evolução. Ao contrário dessa assertiva, cultura é um processo em contínuo dinamismo, é um processo em permanente evolução, diverso e rico, é o desenvolvimento de um grupo social, uma nação, uma comunidade; fruto do esforço coletivo pelo aprimoramento de valores espirituais e materiais.
Em uma visão antropológica, podemos o definir como a rede de significados que dão sentido ao mundo que cerca um indivíduo, ou seja, a sociedade. Essa rede engloba um conjunto de diversos aspectos, como crenças, valores, costumes, leis, moral, línguas, etc. (DANTAS, 2009).
Em outras palavras, é o conjunto de fenômenos materiais e ideológicos que caracterizam um grupo étnico ou uma nação (língua, costumes, rituais, culinária, vestuário, religião, etc.), estando em permanente processo de mudança. (JOBIM, 2006).
Um índio que não tem contato com livros, nem com música clássica, por exemplo, não possui cultura. Onde ficam seus costumes, tradições, sua língua? (DANTAS, 2009).
Nesse aspecto, é impossível afirmar que um indivíduo não tenha cultura, afinal, ninguém nasce e permanece fora de um contexto social, seja ele qual for. Considerar uma determinada cultura (a cultura ocidental, por exemplo) como um modelo a ser seguido por todos é uma visão extremamente etnocêntrica.
A música, por exemplo, interesse de nossa comunidade, é considerada por diversos autores como uma prática cultural e humana. A criação, a performance, a significância e até mesmo a definição de música variam de acordo com a cultura e o contexto social. Para indivíduos de muitas culturas, a música está extremamente ligada à sua vida.
Música como prática cultural humana pode ser defeinida como uma forma de arte que constitui-se basicamente em combinar uma sucessão de sons e silêncio agradável, ritmada e organizada ao longo do tempo.
A música se estabelece desde composições fortemente organizadas - e a sua recriação na performance -, música improvisada até formas aleatórias. A musica pode ser dividida em gêneros e subgêneros, contudo as linhas divisórias e as relações entre gêneros musicais são muitas vezes sutis, algumas vezes abertas à interpretação individual e ocasionalmente controversas.
Diante dos pressupostos e idéias acima, o interesse da comunidade da EEEFM HONORATO FILGUEIRAS pela realização do Festival Musical com o foco voltado para o estilo musical Rock, FESTIVAL MUSICAL MóCA-ROCK, nasceu de uma constatação ao longo de muitos eventos culturais realizados.
Neste episódio, verificamos que os estudantes, freqüentemente, solicitavam a reprodução de tendências musicais como o denominado midiaticamente “tecno-brega” e congêneres. Fato este, interpretado como apropriação mediante consumismo de produtos que a indústria midiática tem imposto ao universo estudantil de forma acrítica.
Tal constatação nos deu a possibilidade de entrever duas questões importantes em termos pedagógicos. A primeira sugere que a escola não tem tratado adequadamente e de forma sistemática os conhecimentos que os estudantes trazem em sua bagagem cultural à escola por influência midiática. A segunda é que já é sabido, por meio de amplas pesquisas, que tais conhecimentos podem ser levados em consideração enquanto conhecimentos iniciais em uma Aprendizagem Significativa.

Nestes termos, os objetivos do festival são orientados a partir do tema central dos projetos na escola, qual seja A influência da Mídia no Cotidiano Humano. Dessa forma, o festival centra-se em por em evidência, discutir, refletir e compreender as leituras e os apelos sensoriais proporcionados pela indústria da mídia de forma crítica, evidenciando os valores morais e étnicos que norteiam o comportamento social ‘da nossa gente’.
A idealização do projeto nasceu de uma proposta estruturada pela equipe de ciências e comunicação denominada Sarau Multicultural Mocarock que tinha como propósito englobar diversos ritmos musicais, com apresentação de bandas de rock e ou bandas mistas, apresentação de danças típicas e recitais de poesias. Seu objetivo era tornar o aluno – do ensino médio - conhecedor das diversas formas de leituras através da cultura geral - música, poesia, arte, literatura, etc.- de forma que desenvolva o prazer pela leitura.
Percebeu-se a possibilidade de tornar tal evento amplo, e dessa forma, as idéias e objetivos do Sarau Multicultural foram redimensionados para contemplarem toda a comunidade escolar. Somando-se isso, a escola possui em seu quadro discente e docente intérpretes, percussionistas e bandas iniciantes e profissionais do estilo Rock entre outros estilos. Nessas circunstâncias, o estilo musical Rock, tornou-se um dos principais instrumentos de estratégia metodológica nas ações do Festival.

Vale ressaltar que em seu percurso histórico a escola vinha abrindo um mínimo de espaço para as bandas e demais grupos culturais estudantis em nossos eventos sem uma preocupação sistemática e apoio mais acentuado.
Em termos de seu diferencial a execução do festival é compreendida como oportunidade mais viável e imediata para que a nossa comunidade, neste processo, tenha contato, de modo democrático, com parte da pluralidade musical que interage em nossa comunidade. Em especial, no segmento estudantil.




OBJETIVOS
Objetivo geral:
Por em evidência, discutir, refletir e compreender as leituras e os apelos sensoriais proporcionados pela indústria da mídia de forma crítica, evidenciando os valores morais e étnicos que norteiam o comportamento social ‘da nossa gente’.

Objetivos específicos:

 Evidenciar o papel da propaganda midiática – televisão, rádio, carro volante, celulares, “pirataria” em mídia de áudio, festas de aparelhagem, - no processo de reprodução de estilos musicais nas concepções dos estudantes;
 Incentivar e estimular a leitura crítica da pluralidade de estilos musicais presentes nas rádios e reproduzidas nas principais aparelhagens da nossa comunidade;
 Destacar o importante papel, em termos sócio-históricos, dos estilos musicais regionais na cultura musical paraense e brasileira.
 Fomentar e expor os variados trabalhos com bandas musicais presentes na escola, com destaque para o estilo musical Rock;
 Oportunizar aos estudantes momentos de conhecimento e expressão do estilo musical Rock e outros estilos de suas afinidades por meio da habilidade instrumentista e vocal.


Público alvo:

O perfil de público que o festival pretende atingir configura-se naquele representativo aos estudantes que a escola atende. Neste, estão presentes estudantes do ensino fundamental e médio de diversas faixas etárias, compreendendo o intervalo entre 14 (quatorze) e 70 (setenta) anos.
A estimativa de público é de aproximadamente 1500 (quatro mil) participantes entre estudantes, profissionais, convidados e familiares.


Resultados previstos

Metas a serem atingidas, a partir dos objetivos do projeto:

Objetivos Metas e Instrumentos
 Evidenciar o papel da propaganda midiática – televisão, rádio, carro volante, festas de aparelhagem, “pirataria” em mídia de áudio, celulares - no processo de reprodução de estilos musicais nas concepções estudantis; Fase de base ou preparação para todos os estudantes inscritos pela escola. Mediante oficina temática aos estudantes com especialistas da SECULT.
 Incentivar e estimular a leitura crítica aos estudantes da pluralidade de estilo musical presentes nas rádios e reproduzidas nas principais aparelhagens da nossa comunidade;
Fase de base ou preparação todos os estudantes inscritos pela escola. Mediante oficina, aos estudantes, com especialistas da SECULT, relativa ao tema.
 Destacar aos estudantes o importante papel, em termos sócio-históricos, dos estilos musicais regionais na cultura musical paraense e brasileira. Fase de base ou preparação todos os estudantes inscritos pela escola. Mediante oficina, aos estudantes, com especialistas da SECULT, relativa ao tema.
 Fomentar e expor entre os estudantes os variados trabalhos com bandas musicais presentes na escola, com destaque para o estilo musical Rock;
Fase de base ou preparação específica para os estudantes com relação a técnicas e habilidades. Mediante oficinas aos estudantes nos estilos: música regional, reggae, hip-hop, chorinho, música eletrônica e rock realizado pela SECULT e convidados da escola. Mediante oficinas relativas às habilidades vocais e instrumentistas – bateria e guitarra - realizadas pela SECULT e por convidados da escola.

 Oportunizar aos estudantes momentos de conhecimento e expressão do estilo musical Rock e outros estilos de suas afinidades por meio da habilidade instrumentista e vocal.
Mediante a programação do festival a comunidade que contempla em sua dinâmica, entre outros, dois mini-concurso de bandas de rock e de grupos culturais, a apresentação de bandas convidadas e videoclipes.


Como benefícios culturais, sociais e derivados do projeto prevêem-se a criação de um perfil de concepção nos estudantes com relação aos diversos estilos musicais presentes na cultura paraense e brasileira; a leitura crítica pelos estudantes dos estilos proporcionados pelas rádios e aparelhagens; projeção de talentos que se destacam na escola nos grupos musicais com relação as habilidades instrumentistas e vocal; inserção de mais um evento cultural de cunho educativo no calendário de programações culturais da ilha do Mosqueiro enquanto papel fundamental da escola na formação cidadã.







Estratégia de ação

O festival tem duas fases sendo uma de preparação e outra de execução. A fase de preparação tem previsão para ocorrer ao longo de duas ou uma semana antes do dia da execução do festival. Nesta fase, a escola por meio de ciclos de palestras e oficinas, prepara os estudantes – fundamentalmente aqueles pertencentes a grupos folclóricos e musicais – em termos de fundamentos, idéias, pressupostos, reflexões, técnicas e habilidades aos estilos musicais Reggae, Rock, Hip-hop, Música Regional, as habilidades de voz, guitarra, bateria e DJ.
As oficinas serão ministradas por especialistas ligados a Secretaria de Cultura do Estado ou convidados, devendo ocorrer nas dependências da escola.
Nesta fase, assim como na de execução, estão previstas participação direta e indireta, por área do conhecimento, ou como forma específico disciplinar, de atividades e ações pedagógicas que contribuam com os aspectos do festival.
Neste sentido, assuntos correlatos a música, como o som de notas musicais, diferenciação de timbre, altura, intensidade, estímulo ao pesquisar musical, que se interagem com as disciplinas afins são apontados como sugestão. Assim como literatura, arte, poesia, etc. de forma que dentro de sala de aula ou não, o rock seja especificado dentro de contexto pedagógico, mostrando que este estilo musical é um movimento cultural de liberdade que se procedeu no Brasil, com mais freqüência, a partir dos anos 80 com ideais de protesto. Utilizar também, as letras das musicas como mecanismo de analise textual, utilizando as estratégias de leituras.
Outros elementos que acompanham ou estão ligados ao movimento musical como a expressão corporal, o sarau, temáticas ambientais, a arte do grafite e outras, aborto, gravidez precoce, protagonismo juvenil, educação física, também são apontados como sugestões.
Na fase de execução o festival apresenta uma extensa programação cuja espinha dorsal contempla dois concursos. Um com quatro bandas de Rock da comunidade e outro com quatro grupos de expressão cultural.
Tais concursos serão distribuídos ao longo da apresentação de bandas e grupos culturais convidados e a execução de músicas e videoclipes.
A apresentação musical e apresentação oral serão executadas por estudantes advindos do processo de palestras e oficinas: um DJ e dois apresentadores - homem e mulher.

A primeira etapa ou fase estará a cargo da direção e técnicos e a segunda fase ficará a cargo da equipe mista entre professores e estudantes.

Cronograma

J F M A M J A S O N
Estruturação
Divulgação
Reunião pedagógica
Concurso para criação da logomarca
Ciclo de Palestra
Oficinas por estilo musical
Oficina para habilidade vocal
Oficina para habilidade instrumentista –
Baterias
Oficina para habilidade instrumentista –
Guitarra
Lançamento do edital do concurso de bandas
Escolha do DJ e apresentadores
Execução do Festival


Referência

DANTAS, Tiago. O que é cultura?
Disponível em: http://www.alunosonline.com.br/filosofia/o-que-e-cultura/
Consulta em 22/09/09.

JOBIM, Sonia. O que é cultura? Texto Adaptado por Ifatolà, 2006
Disponível em:
http://orixas.com.br/afrodesc/index.php?option=com_content&task=view&id=25&Itemid=63
Consulta em: 22/09/09

sábado, 6 de março de 2010

Semana Pedagógica Honorato Filgueiras 2010

Professor Valdir Barros


Professor Mário Gaspar avaliando o ano letivo de 2009

Professores: Luciano e Edson, ao fundo professor Alcir e Fiel

Professores: Mário Gaspar, Sílvio, Hélio e Lauro Marron

Vice diretora Vera Ferreira e o técnico em educação Arnaldo

Técnico da SEDUC Jaime no planejamento 2010

Professores: Aldo, Dantas e ao fundo o Vice diretor Antonio Carlos

Planejamento do ano de 2010 ensino médio Inovador

Auditório da Escola Honorato Filgueiras
Professor Antonio debatendo o Ensino Médio Inovador

A direita sentada professora Leila
Diretor Wagner Barros e Professora Beatriz

Professoras: Roseane, Cintia, Conceição e Socorro

Quadro de professores e técnicos da Escola


A Escola Estadual Professor Honorato Filgueiras do Distrito do Mosqueiro, realiza do dia 03/03 a 10/03 de 2010 sua Jornada Pedagógica com participação efetiva de todo o corpo técnico administrativo e docente. A semana começou com a formação do projeto Ensino Médio Inovador, que será implantado na escola já esse semestre, com cerca de 90 mil reais para desenvolver as ações planejadas, na semana pedagógica. Dia 04 de março a escola debateu os projetos com recursos do Governo Federal que já estão na conta do Conselho Escolar tais como: PDE, Mais Educação, Escola de Portas Abertas e PDDE. Essa formação contou com a participação dos técnicos em educação da USE 19 Katia e José Luis e a participação do diretor Wagner Barros.
Nos dias 08, 09,10 de Março os professores farão o planejamento anual, reformulação do regimento escolar interno e plano de ensino, plano de aula. As aulas retornarão no dia 11 de Março de 2010.