Feira Científica e Cultural 2014

Loading...

domingo, 25 de dezembro de 2011

Escola Solidária







No país em que vivemos não devemos, nem podemos viver alheios à desigualdade social e à pobreza. Foi pensando nisso que, a comunidade escolar Honorato Filgueiras, articulado com a professora de língua portuguesa, Ivana Norat, deu início às atividades do “Natal Solidário”, que hoje fará parte do calendário anual de nossa escola. O projeto auxilia na formação de nossos alunos como pessoas sensíveis e socialmente ativas, além, é claro, de incentivá-los a serem solidários com quem precisa.

A escola entregou cerca de 40 cestas basicas a comunidades do bairro do Pantanal e Maracajá, onde, houve um cadastros das famílias mais necessitadas. O ensejo deu-se no patio da escola, com a presença dos organizadores e colaboradores do evento.


A Horta Escolar dinamizando o Currículo da Escola













O Projeto "Educando com a Horta Escolar" parte do entendimento de que, por meio da promoção da ação escolar e uma educação integral dos educandos, é possível gerar mudanças na cultura da comunidade no que se refere à alimentação, à nutrição, à saúde e à qualidade de vida de todos, sobretudo,tendo a horta escolar como eixo gerador de tais mudanças.

O projeto atende, principalmente os educandos do ensino fundamental, dentro do programa MAIS EDUCAÇÃO, do Governo Federal.


sexta-feira, 11 de novembro de 2011

África pós-colonial

Por Alcir Rodrigues

crian

No campo minado,

            a Inocência brinca,

na pele

             de crianças

contentes...

mina

 

Os pais, nas minas

garimpam os diamantes

que alimentam

certa riqueza,

que sai dali

para a Europa;

dali para o Japão;

dali para Cingapura,

para Dubai,

para os EUA...

diam

 

Também fica ali,

mas para uns poucos, apenas:

os senhores da guerra

e da política.

           Movidos pela Ganância,

são profissionais exterminadores,

étnicos e da inocência,

que transformam crianças

em “guerrilheiro” sem causa,

jovens sem porvir,

                     homens sem propósito,

mulheres enviuvadas,

violadas e prostituídas,

mães solteiras,

                 órfãs de filhos, estes

mutilados pelas minas terrestres,

e pelo abuso de poder,

que se camufla em uma

falsa revolução...

mult

 

Pedaços de utopia

vão apressadamente levados

para as precárias instalações médicas,

e dali para o necrotério,

quase irreconhecíveis...

Guerr

 

Nas cidades, a guerrilha.

No campo e na selva, também:

a Violência torna comum

a vida de todos,

                      pobres ou ricos,

mulheres ou homens,

crianças, jovens ou velhos,

negros ou brancos.

                                      Ela já não assusta.

                     Não assombra ninguém:

   Ela é banal...

 

                                  O sangue, ali, é a cor da moda!

Os raios do sol são vermelhos,

a chuva é líquido vermelho.

Rios vermelhos serpenteiam

                                   pelos vales,

                                         e desembocam

             em um mar de sangue...

 

Os Sonhos vão-se embora,

            juntamente

com a Alegria, com os remédios,

com a comida, levando embora

       a mínima Esperança,

que também já agoniza.

Quem veio de mudança

e se instalou

          de forma perene

foram a Fome e a Doença,

               que paridas pela Guerra

crescem bem nutridas

em todos os territórios por ali,

                                         inclusive

no coração e na mente

dos seres humanos.

               A irmã mais nova

já foi plenamente gestada

pelo ventre da Guerra…

crian2

 

Se a Violência, a Fome,

               a Doença e a Morte

são paridas pela Guerra

(e esta é filha legítima da Ganância),

          o Ódio foi abortado

como um inumano monstro disforme,

incumbido de aniquilar

                                 de vez

             a Paz,

e sepultá-la em tumba oculta,

sem Glória,

                nem clamor ou Saudade...

Só que a Paz não jaz em paz!...

Travestida de Fênix Renascida,

ela subjaz em latência,

germinando/brotando,

              fortalecendo-se

à espera da Harmonia,

que há de vingar um dia,

nem que seja o último da vida,

           ali, naquele continente desolado!…

sábado, 8 de outubro de 2011

Brilhantismo e emoção no desfile do Honorato

A semana da pátria iniciou-se na Escola Honorato Filgueiras dia 05 de Setembro com um grande passeio ciclístico com mais de 500 estudantes, passeando pelas principais ruas do distrito de Mosqueiro. Dando continuidade no Planejamento pedagógico anual, que é feito no inicio do ano, sempre com um tema atual, a escola desfilou na Praça da Matriz com mais de 600 alunos, contagiando o publico presente. A escola mobilizou professores, alunos, técnicos em educação, funcionários de apoio, vigilantes e até mesmo os pais de alunos, que protagonizaram um brilhantismo sem igual na Vila. Por tudo isso a direção da escola agradece a todos que contribuíram direta e indiretamente no belíssimo espetáculo.


IX PASSEIO CICLÍSTICO DA EEEFM HONORATO FILGUEIRAS





A EEEFM Honorato Filgueiras, escola de tradição do distrito de Mosqueiro, fez seu IX passeio ciclistico alusivo a semana da pátria com o tema: O Pará unido é mais forte. Diga não a divisão. O passeio ecologicamente correto, pois não agride o meio ambiente, incentiva cada vez mais os alunos a locomoverem mais com suas bicicleta. O entusiasmado passeio circulou pelas principais avenidas da ilha, saindo da escola ás 9h, depois da execução do hino nacional e do Pará, os alunos diga-se de passagem mais de 500, foram entoando grito de ordem com muita musica regional embalados pelo Trio da Ilha.






quinta-feira, 8 de setembro de 2011

XV Feira Pan Amazônica do Livro






Mais uma vez a Secretaria Executiva de Educação, através da Radio Web Seduc, depositou total confiança para apresentar um programa ao vivo, neste dia 08 de setembro no Hangar na Feira do Livro, foi a Radio Escola HF MUSIC da EEEFM Honorato Filgueiras. A meninada da escola entrevistou, comentou sobre os programas pedagógicos da escola e colocou muita musica para seus ouvintes. A radio fará seu primeiro aniversario em dezembro, teve como sua madrinha a professora de artes Andrea Azevedo que deixou muita saudades para seus estudantes radialista que deram um show no Hangar que foram os alunos: Beatriz Cardoso, Elinete Morais, Jhoy Silva, Mikael Lopes e Tatiane Sagi. Por tudo isso a direção da escola abraça a todos que fazem a radio.